Museu Nacional Vive

Menu de navegação

ApresentaçãoCompromissosGovernançaLinha do TempoNotíciasCronogramaGalerias de ImagensVídeosResgate de acervosPerguntas FrequentesSala de imprensaFale ConoscoEventosExposiçõesEducativoDiálogosDoaçãoCooperaçãoPatrocíniosInstitucionais

Notícias

ALERJ oficializa repasse para o Museu Nacional

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) vai repassar, conforme autorizado pela Lei 8.971/20, sancionada pelo governador Wilson Witzel, R$ 20 milhões do Fundo Especial do Parlamento Fluminense à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). A verba será destinada ao projeto de reconstrução do Museu Nacional/UFRJ, na Quinta da Boa Vista. Uma cerimônia no dia 19 de agosto de 2020, em frente ao Palácio São Cristóvão, marcou a assinatura do “Termo de Doação para Restauração do Museu Nacional”.

O presidente da Alerj, André Ceciliano (PT) destaca que o Museu Nacional/UFRJ é a mais antiga instituição científica do Brasil e um dos maiores museus das Américas. “O Parlamento fluminense reconhece a importância do Museu Nacional/UFRJ para a história e a cultura do país e do nosso estado. É simbólico que essa contribuição aconteça no momento em que a Universidade comemora o seu centenário”, destaca.

O repasse será efetivado a partir da apresentação à Alerj de um plano de trabalho executivo, detalhando as ações realizadas e os objetivos, itens de despesa e cronograma de desembolsos. Além disso, a UFRJ deverá se comprometer a divulgar todas as informações em seu site oficial, garantindo a transparência de todo o processo.

Para Denise Pires de Carvalho, reitora da UFRJ, instituição à qual o Museu Nacional/UFRJ está ligado, é muito importante poder voltar a mostrar a história do Brasil. “O apoio da Alerj para a reconstrução do Paço de São Cristóvão, o Museu Nacional, viabilizará o resgate da nossa história, garantindo que a sociedade brasileira possa ter acesso ao rico patrimônio científico, artístico e cultural com o retorno das exposições o mais breve possível.”

Segundo o Diretor do Museu Nacional, Alexander Kellner, o projeto inicial foi aprovado pela Alerj e a tramitação está acontecendo como esperado. “Precisamos apenas acertar o detalhamento de como serão utilizados os recursos e como será realizado o trabalho arqueológico durante as obras. Assim que finalizarmos esse estudo, vamos encaminhar o projeto à Alerj e dar início ao processo licitatório”, explicou.

Ainda de acordo com Kellner, “a partir desta verba nós chegamos mais perto da metade da nossa necessidade total. E temos certeza que esse exemplo dado pelo parlamento fluminense será seguido por outras instituições, possibilitando que façamos o necessário para entregar parte das fachadas e coberturas do Museu Nacional/UFRJ em 2022, quando será celebrado o bicentenário da independência do Brasil. Nossa previsão é que a abertura definitiva, de todas as salas aconteça, em 2025”, explica.

PROJETO MUSEU NACIONAL VIVE

O projeto de reconstrução do Museu Nacional/UFRJ é uma iniciativa da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e do Instituto Cultural Vale.

O aporte de recursos do Fundo Especial do Parlamento Fluminense garante o avanço dos processos licitatórios para as obras de restauro das fachadas e dos telhados do Paço de São Cristóvão. A primeira etapa das obras terá início em fevereiro de 2021 e também será executada com recursos da iniciativa privada. As intervenções planejadas para esse primeiro momento já foram aprovadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

PROJETO MUSEU NACIONAL VIVE